Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

florbytes

Gosto de andar sem pressa, ainda que a impaciência tenha pressa e corra comigo.

florbytes

Gosto de andar sem pressa, ainda que a impaciência tenha pressa e corra comigo.

Fechou-se o monte!

20171005_131535 (2).jpg

Mas é só a passagem. A miragem? Essa, no horizonte não há como aferrolhar. Estica-se o pescoço e olha-se muito. Até cansar os olhos de tanto ver, tanto olhar.

20171005_132732.jpg

Esta era uma casa num penedo. Agora é apenas um penedo que um dia teve uma casa. 

20171005_133153 (2).jpg

Esta é a sombra do penedo em dia de muito sol e calor. Sabe bem, experimentei.

 

20171005_140004 (2).jpg

Este é o outro lado. O lado moderno da "coisa".

 

Vês? Eu também vi!

 

Não vi a casa do penedo.  (a fama tem um preço, disseram-me que é 1,00€ ao Sábado ou ao Domingo)

 

Não deixavam entrar. Porquê? Porque a casa tem um dono. Porque era dia de festa e esta era particular.

E ainda, porque não fui propriamente à procura de uma casa e sim de uma localidade para visitar.

Se tive pena? Devia ter? Não tive, não!

Vi outras coisas. A casa do penedo eu já vi imensas vezes em fotografias. Aliás, como muita gente viu também. 

 

Já disse que estava muito calor? Por ali, o sol no monte é bravo e a vegetação escassa.

Adorei a aldeia com as as abóboras a descer pelas paredes, os regatos e as gentes.

Come-se muito e bem, na Tasca da Viúva.

 

BFDS

 

 

publicado às 00:29

A Falperra

20171002_183828 (2).jpg

 

20171002_185424.jpg

 

20171002_190244.jpg

As obrigações fazem-nos percorrer caminhos imprevistos.

O convite era para um hotel na Falperra. Viemos a descobrir que ficava no meio do arvoredo e na subida em direção ao Sameiro.

Ao deixar a cidade, fomos descobrindo que por ali não havia restaurantes. Impossível almoçar, foi a indicação no hotel.

Em lugar de descer para a cidade. Arriscamos subir ainda mais, desconhecendo que o Sameiro se encontrava em obras, e....

Por ali almoçar à segunda-feira estava fora de questão. O restaurante encontrava-se encerrado. O calor apertava. O relógio lembrava que estávamos muito apertados.

O desânimo começava a instalar-se.

 No entanto, decidimos que não passaríamos uma tarde encerrados numa sala sem almoçar e sem acesso a lanche.

Invertemos marcha e passamos a cortar curvas o mais rápido possível até chegarmos de novo a Braga (agora entendemos como deve ser emocionante a prova de rali que por ali passa).

Tivemos sorte. Encontramos um espaço muito simpático. E embora muito apinhado, o serviço foi célere.

De novo nos fizemos às curvas da Falperra em direcção ao nosso destino.

Nos olhos ficava a vontade de parar pelo caminho. O sol, as árvores coloridas, mas não, não fomos a passeio.

Já depois das 18,30h e antes de nos fazermos ao regresso a casa, demos uma espiada muito rápida a estes dois monumentos.

1ª Igreja de Santa Maria Madalena da Falperra

2º Capela de Santa Marta

 

A vida é assim: 

Algumas contrariedades

Uma boa dose de improviso

No fim, a tarefa é superada.

 

 

publicado às 23:46

Braga de visita...


20170924_141910.jpg

Avenida da Liberdade

Recordo esta rua com filas enormes de carros e autocarros.

Hoje é uma rua pedonal e jardim.

20170924_154821.jpg

Braga - Praça da República ou Arcada.

 

20170924_125515.jpg

 

Arco da Porta Nova 

"Todos os povos têm características pelas quais são conhecidos, os bracarenses não são exceção, por exemplo, são conhecidos por deixarem a porta aberta, daí a expressão " És de Braga? ".

 

Faz alguns anos que não visitava o centro de Braga.

Não fugindo à regra, por aqui, há muita gente, muitas visitas, turismo. Os espaços estão cuidados, alguns ainda em conservação e muito já renovados. 

As lojas de "recuerdos", restaurantes, cafés e pastelarias encontram-se abertas. Há informação para quem chega e quer visitar e conhecer.

publicado às 08:00

Capelinhos - Faial

20170818_111514.jpg

 

20170818_114347.jpg

Este é um local muito especial. Uma espécie de espaço lunar, é o que parece.

Há um contraste fantástico entre o negro do solo e o azul do céu e do mar. O verde? Há pouco. Quase nenhum.

Ontem ao ver esta notícia, recordei o local e a verdadeira história.

Os Açores são sem dúvida uma das maravilhas mais bonitas que encontrei.

Se voltava? Sim!

 

 

publicado às 00:33

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D